Ciberterrorismo deixa o mundo em alerta com o vírus Stuxnet

O que antes se via somente em filmes tornou-se realidade, vírus de computador usados por terroristas que podem derrubar redes de energia, água, telefones, usinas entre outras, acerta encheio a segurança nacional de qualquer país.

Recentemente alguns países tem aumentado drasticamente seus recursos com segurança online, Alemanha, Inglaterra e Rússia já adicionaram extra em seus orçamentos mais de 2 milhões de euros só em 2010, para combater o “Ciberterrorismo”, principalmente depois da notícia de que um vírus de computador conhecido como “Stuxnet”

que é o primeiro vírus que se tem notícia capaz de causar danos físicos reais ao mundo. A primeira vitima do Stuxnet foi o Irã que teve suas polêmicas usinas de enriquecimento de plutônio atacadas e de brinde ganharam um atraso em suas atividades por mais de 60 dias.

Especialistas de empresas de antivírus como Symantec e ALWIL Software, ressaltam que cerca de 60 mil sistemas por todo o mundo já foram atacados e acredita-se que 55% dos computadores afetados estavam localizados no Irã, 20% na Indonésia e menos de 4% nos Estados Unidos. As empresas ressaltaram ainda que o Stuxnet deve ter sido fabricado por uma equipe que trabalhou duro por meses para confeccionar a tal ameaça que se mostra ser altamente organizado e muito bem financiado. “Pela complexidade do código do vírus ele não poderia ter sido criado em menos de 6 meses”, disse David Grenck da Symantec.

No momento o Stuxnet vitima somente usuários de todas as versões do Microsoft Windows. Os países que utilizam outras plataformas como Linux e Apple se mostraram resistentes a tal ameaça.