Bolsonaro segue de férias mesmo com tragédia da Bahia, saiba como doar

Bolsonaro segue fazendo aglomeração e fotos em suas férias e tem se mostrado sem nenhuma preocupação com o que ocorre nos alagamentos da Bahia

Infelizmente a falta de empatia supera a falta de comando do presidente Jair Bolsonaro (PL). De férias nesse final de semana Bolsonaro não atua como estadista para ajudar a amenizar os efeitos do caos que vive a região sul da Bahia por conta do excesso das chuvas fortes que acontecem desde novembro na região.

Até o momento são 116 áreas atingidas, 100 municípios em estado de emergência, 24 mortes e mais de 400 mil pessoas estão desabrigadas, sem comida e água potável para beber.

O governador da Bahia, Rui Costa (PT), tem noticiado várias iniciativas com a infraestrutura do próprio estado e tem reclamado publicamente da falta de apoio federal que só começou a cegar no dia 28. Segundo Rui o presidente Bolsonaro esteve bem no início das chuvas visitando o estado e trouxe muitos problemas e conflitos que rendeu agressões e promessas de ajuda não realizadas.

"Este é o maior desastre já ocorrido na história da Bahia", afirma  Rui Costa.

Bolsonaro segue de férias mesmo com tragédia da Bahia, saiba como doar!
Dados oficiais do estado da Bahia registraram 24 pessoas mortas por causa das chuvas

Ministros fazendo palanque na Bahia

Desembarcaram no sul da Bahia os ministros do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho; da Cidadania, João Roma; da Saúde, Marcelo Queiroga; da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves, prometeram ajuda, mas com um palanque montado não pouparam críticas ao estado da Bahia.

Na terça-feira, 28/12, o governo federal noticiou que repassaria o valor de R$ 200 milhões para as ações de enfrentamento às consequências causadas pela chuva na Bahia. Mas a união chamou a atenção que o dinheiro pertence a outras regiões e não pode ser usado único e exclusivo na Bahia, ou seja, Bolsonaro e seus ministros mentiram ao dizer que ajudariam. O senador Jaques Wagner (PT-BA), presidente da Comissão do Meio Ambiente no Senado e que está à frente da força-tarefa junto com o governador do estado, Rui Castro, alertou que o valor é insuficiente para todos os estragos.

Wagner não descarta a possibilidade de convocação de emergência para uma votação de projeto de lei ou medida provisória para destinar auxílio às vítimas das chuvas na Bahia. Rodrigo Pacheco (PSD-MG), presidente da Casa, já sinalizou que sim.

O que já chegou de ajuda

Os demais estados do nordeste tem enviado bombeiros socorristas, viaturas, água e alimentos. Artistas tem feito vaquinha e utilizado a sua imagem para coletar doações financeiras. O ministério da saúde somente ontem, 28, destinou médicos socorristas e o exército começa a enviar tropas.

Faça sua doação!

A conta bancária do Banco do Brasil tem como número de agência 3832-6 (setor público) e conta 993.602-5, identificada como BA Estado Solidário.

Para depósitos via PIX, os doadores devem usar o CNPJ da Sudec – Superintendência de Proteção e Defesa Civil do Estado: 13.420.302/0001-60

Fonte dos Dados: Site do Governo do Estado da Bahia

As férias de Bolsonaro

Desde o dia, 27, Bolsonaro esta de férias em São Francisco do Sul, no litoral catarinense, para passar o período do réveillon. A ida dele à região se dá em meio à tragédia registrada na Bahia ao qual o mesmo demonstra em várias entrevistas não se preocupar muito com a tragédia na Bahia.

“Espero que eu não tenha que retornar antes”, afirmou em vídeo divulgado pelo portal santa-catarinense ND Mais, enquanto conversava com algumas pessoas na praia. Na terça-feira, 28, Bolsonaro foi passear de moto aquática.

A ausência do presidente nesse caso tem movimentado os bastidores da politica em Brasília e aliados tem reclamado que isso vai afetar publicamente as eleições do ano que vem. Deputados Federais da Bahia tem se reuniram com o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), para antecipar a liberação de ajuda.

“É uma completa inversão de prioridades. Enquanto mais de 400 mil pessoas são atingidas por essa tragédia, ele está pescando. Chega a ser cruel. É a marca da crueldade, da completa falta de sensibilidade com o problema do outro. Não é porque o governador da Bahia é de outro partido que ele deveria agir assim”, desabafa a deputada, Alice Portugal (PCdoB-BA), ao mencionar a conhecida animosidade política entre Bolsonaro e o governador Rui Costa (PT).

O líder do governo Bolsonaro na Câmara, deputado Ricardo Barros (PP-PR), em entrevista a UOL, fez de pouca gravidade a situação da Bahia e disse que “o governo federal já está presente” na região por ter enviado três ministros e uma tropa das Forças Armadas.

“Essa é a característica do governo Bolsonaro: não está preocupado com as pessoas, com o cidadão, a cidadã. E nós que estamos na política temos que ter essa responsabilidade. Um momento como este não é de festa, não é momento de comemorar nada. É o momento de ser solidário. Isso Bolsonaro não é, então, não é surpresa pra mim ele viajar pra Santa Catarina”, reage o deputado Valmir Assunção (PT-BA).