A ditadura da caneta e a plutocracia que prometem rebaixar a cidadania e amordaçar a democracia

Está mais do que evidente a implementação da plutocracia num possível governo Michel Temer (PMDB-SP), e os desatentos parecem que só vão acordar para esse problema real quando acontecer e seus efeitos forem sentidos no bolso e na sua liberdade.

O plano divulgado pelo vice-presidente pmdebista chamado “Ponte para o Futuro” deixa bem claro que governará somente para os ricos e promete que fará cortes em direitos trabalhistas, desvalorização do salário mínimo, mudará idade para a aposentadoria, ampliará os impostos para classe pobre como fez o governo Fernando Henrique Cardoso (2004-2002) por orientação do Fundo Monetário Internacional (FMI) e ainda ressalta como destaque o corte de 50% de todos os programas sociais, Bolsa Família, Prouni, Projovem, Minha Casa Minha Vida, Fies entre outros, destaca também que fará diminuição nos investimentos da infraestrutura de obras do Plano de Aceleração do Desenvolvimento (PAC) que está na sua 3ª edição e tudo isso em nome do capital da indústria financiado pelos ricos industriais que apoiam o golpe para implementar uma verdadeira mordaça na opinião do povo brasileiro como feito na corrupta, violenta e assassina ditadura golpista militar de 1964.

A ideia de uma plutocracia foge a tudo que o trabalhador brasileiro construiu na historia do Brasil e na redemocratização da década 1980 e hoje vemos um congresso nacional desastroso e irresponsável. Foi difícil de acreditar que depois da grosseira, inescrupulosa e hipócrita votação da Câmara dos Deputados do histórico, 17 de abril, dia do “golpe 2016”, que deixou a população com vergonha de ter votado em deputados de nível moral tão baixo e que segue para um senado que prometia ser um espaço mais nobre e de debate avançado, se mostrou tão falho e inescrupuloso quando a Câmara dos deputados.

A charge abaixo ilustra bem a plutocracia

A ditadura da caneta e a plutocracia que prometem rebaixar a cidadania, amordaçar a democracia e sociedade

Não precisa desenhar o sofrimento que reserva o futuro do país, afinal o que é correto para você? Tentar dividir uma conta de crise com pobres e ricos ou só com os pobres? Continuar tentando garantir os serviços básicos, saúde, educação, comunicação e tecnologia, ou reservar qualidade desses serviços para quem pagar mais? Perca uns minutos lendo o o tal “Ponte para o Futuro” e tente se ver lá, afinal, os ricos que o projeto plutocrata coloca em destaque a classe média atual passa nem perto, primeiro por que é preciso ter muito mais que milhões.

A saída do ladrão Cunha pela porta dos fundos

O que nos deixa intrigados com a tão esperada cassação do aliado do Temer, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), pelo acuado Supremo Tribunal Federal (STF), que ocorreu no último, 06/05, por 11 votos a 0, nos deixa apreensivos pela atitude repentina do STF, o que esta por trás mesmo? Acredito que o desequilíbrio entre os poderes esteja favorecendo alguém, o golpista vice-presidente, Michel Temer? Talvez, só se sabe que o mesmo é bem elitista, ficha suja e denunciado em delação premiada na operação da Lava Jato e Furnas por receber de Cunha mais de 5 milhões de dólares e que assinou mais pedaladas fiscais que a presidenta Dilma Rousseff (PT-RS), sinaliza gerir um país para poucos e sobe as vontades de uma corte que fortalece a “ditadura da Caneta” aquela promovida pelo nariz empinado do judiciário, que por omissão e passos dados cuidadosamente pela procurador da republica, Rodrigo Janot, vem fragiliza a democracia e a vida do cidadão comum.

Na próxima quarta-feira, 11 de maio, o absurdo e inconstitucional relatório do golpe analisado pela relator do senado, Antônio Anastásia (PSDB-MG), o mesmo que fez pedaladas quando era governador de Minas e esta citado no esquema de Furnas por receber propina, acompanhado de uma corja de colegas senadores devem aprovar a votação para afastar a presidenta Dilma por 180 dias. O mesmo relatório que é considerado frágil e cheio de culpas não criminais só nos confirma que o acovardamento da corte STF é sim proposital. Talvez pelo fato da Dilma ter barrado um abusivo aumento de salário de 78% ? que mais tarde foi prometido pelo Cunha em uma manobra criminosa fora do regimento da Câmara veio garantiu 41%? O trabalhador comum não tem esse tipo de aumento por conta da maquina financeira nacional a corte é privilegiada a ter mais essa regalia dentre a varias que já tem?

As contas precisam ser planejadas e contabilizadas na intolerante decisão de apoiar um golpe, a conjuntura que esta aí é para ser suspeita mesmo e essa mesma suspeita já despertou o olhar da corte internacional que reconhece oficialmente o Impeachment da presidenta Dilma Rousseff como sendo um golpe e deve cobrar explicações da nobre corte brasileira os por que de tanta ausência de justiça num país do tamanho e historia do Brasil.