A casa do povo iguatuense: privatização e brigas

Foto:Karlos RikáryoOutro dia estava de papo com um amigo vereador aqui do município de Iguatu e como qualquer pessoal durante o papo comecei a fazer perguntas e questionamentos sobre os posicionamentos dos mesmos durante as sessões e como isso ferve o pensamento popular, - cala boca vossa excelência, - você não pode falar isso excelência, - pedido negado a você vossa excelência, isso é o que mais se escuta em uma sessão da Câmara Municipal de Iguatu. O nobre vereador sempre com longas respostas me disse, “as coisas são atendidas diacordo em que lado você está no momento”, só para lembrar, hoje são 10 vereadores, sendo 7 situação e 3 oposição e o valor real que cada um custam ao município não é divulgado, mas sabemos que existem regalias proporcionadas pelo mandato que além do gordo salário parlamentar, existem verbas para o gabinete e contratação de assessores, e para se ter uma idéia de quanto eu e você gastamos dos nossos impostos, pra começar até a década de 60, nenhum vereador era remunerado. Situação que mudou muito com relação aos dias atuais, hoje o Brasil gasta cerca de 400 bilhões de reais para custear o mandato de cerca de 337 mil vereadores.

Na curiosidade conversei com o amigo Cláudio Abramo, que é diretor executivo da ONG Transparência Brasil, que me disse que todo cidadão paga em média R$ 4,50 mês para manter as atividades de cada vereador e a tal conta é feita com a divisão do número de eleitores, pelo número de parlamentares em cada cidade, serio! Parece barato mas faça as contas baseadas em nosso município que tem cerca de 60 mil eleitores.

Na casa do povo Iguatuense as sessões acontecem sem a participação expressiva da sociedade que se quer questionam as ações dos vereadores, as pessoas tem gravado em seu sub-consciente que política é ruim e que é pura perca de tempo, além do mais procurar um vereador pra conversar sobre problemas locais acaba sendo desnecessário já que os mesmo tem suas próprias percepções, ou as que o mandato situação ou oposição demandem.

O que realmente precisamos

Os temas mais importantes agora em 2011 tem pouco destaque já que os vereadores aprovaram em dezembro de 2010 o uso livre de 70% do orçamento pelo executivo, justamente na intenção de acelerar as obras do programa “Cidade do Futuro” lançado pelo sr. prefeito municipal, afinal, se o executivo pode utilizar 70% do orçamento porque ainda temos vereadores? Eu e muitos amigos e população esperamos mais agilidade dos mesmo, principalmente no que se diz respeito as obras publicas que acontecem no município, atualmente nossa cidade alaga facilmente, as ruas estão esburacadas, bairros como: Areais e Altiplano estão completamente esquecidos, sem calçamento, lama e mato, pouca geração de emprego e baixa em todos os serviços da área social.

Privatização

Na última sessão que aconteceu na tarde dessa terça-feira, 17, foi o segundo embate sobre a polêmica “privatização” do SAAE que os vereadores de situação e advogados do executivo insistem em dizer que não é “Privatização”, mesmo abrindo o SAAE para investimento privados durante o período indeterminado, e o debate transmitido pelo site da câmara www.camaradeiguatu.ce.gov.br foi de níveis baixos e a nítida demonstração de desrespeitos entre os colegas daquela casa.

Enquanto cidadão iguatuense respeitosamente espero que a câmara de vereadores amadureça e reveja posturas e se preocupe mais em fazer um trabalho convidativo popular e que seus materiais (leis, projetos e planos um dia esteja disponível para a população, poderia começar colocando o PPA online, regras internas entre outras em seu site.

Texto encaminhado para minha coluna - Tecnologia da Política - na Revista Semanal dessa semana, 21/05

João Ananias

Algeum tinha mesmo que falar

Parabéns amigo Rikáryo, vamos fazer mobilização para os vereadores retirarem do projeto a palavra "Privado" e parabens por mostrar que em nosso Iguatu nem tudo são Flores!!!! 8)

1000 Letras Restantes