Brasil lembra 20 anos sem o Maluco Beleza

Amigos 20 anos de morte do companheiro Raul Seixas eu não podia deixar de postar nada. Pesquisado na grande rede encontrei o Kid Vinil que é uma figuraça do Rock and Roll nacional. Sabendo de sua convivência com Raul recebi um texto que ele postou em sua coluna no portal Terra e vi que ninguém melhor do que ele pra falar sobre o maluco beleza.

Main Menu

  • Plataforma Steam
  • ForoGuate
  • ForoCarros

    Imagem:Divulgação - Possui Direitos ReservadosTalvez um dos maiores legados de Raul Seixas seja esse jargão "Toca Raul!", isso é uma febre desde a década de 80. Em qualquer situação constrangedora ou não, sempre pinta um engraçadinho gritando "Toca Raul!". Lembro que até no meio de show internacional, alguém na platéia soltava o jargão entre uma música e outra e acabava virando uma piadinha. Se há uma falha durante uma discotecagem, logo surge o engraçadinho gritando "Toca Raul!". E tem também aqueles que falam sério durante os shows, pois são fãs de Raul Seixas. Brincadeira ou não esse jargão será eterno.

    Mas, o legado de Raul Seixas após 20 anos de sua morte vai muito além disso. Certa vez ouvi Gilberto Gil dizendo que Krig-Há, Bandolo! é um dos melhores discos do rock brasileiro. Concordo plenamente com a afirmação de Gil, o disco lançado em 1973 foi o primeiro álbum solo de Raul Seixas com seu parceiro Paulo Coelho. Nele estava seu primeiro grande sucesso Ouro de Tolo, uma música que tocou à exaustão em todas as rádios do país naquela época.

    Recentemente Nasi, o ex-vocalista do IRA!, fez uma releitura de Krig-Há-Bandolo! num show especial que ele apresentou na Virada Cultural de São Paulo. A música de Raul Seixas influenciou bandas famosas dos anos 90, como Raimundos e Chico Science, por exemplo.

    Em 1973 Raul Seixas criava a Sociedade Alternativa e durante seus shows de lançamento do LP Krig-Há-Bandolo! foi distribuído um gibi contendo um manisfesto, que eu transcrevo abaixo.

    O texto que segue está no manifesto/gibi A Fundação Krig-Ha, distribuído no primeiro show de Raul em SP, em 1973. Escrito por Raul e Paulo Coelho, entre outras pessoas, esse manifesto lança a ideia de Sociedade Alternativa. No ano seguinte, todas as cópias desse manifesto seriam recolhidas pela Polícia Federal e queimadas como "material subversivo". Raul foi preso e torturado pelo Dops (Departamento de Ordem Política e Social) e é "convidado" a se retirar do país, retornando ao Brasil pouco mais tarde devido ao sucesso de seu disco Gita. Veja abaixo a transcrição do texto do manifesto:

    Prefácio - Nós vos saudamos, Maria. Nós Vos Saudamos José. E nós saudamos os artistas brasileiros que tiveram o silêncio do resto do mundo quando seus trabalhos e seus corpos foram censurados, mutilados desaparecidos.

    Manifesto:

    • O espaço é livre. Todos têm direito de ocupar seu espaço.
    • O tempo é livre. Todos têm que viver em seu tempo, e fazer jus às promessas, esperanças e armadilhas.
    • A colheita é livre. Todos têm direito de colher e se alimentar do trigo da criação.
    • A semente é livre. Todos têm o direito de semear suas ideias sem qualquer coerção da INTELEGENZIA ou da BURRICIA.
    • Não existe mais a classe dos artistas. Todos nós somos capazes de plantar e de colher. Todos nós vamos mostrar ao mundo e ao Mundo a nossa capacidade de criação.
    • "Todos nós" somos escritores, donas-de-casa, patrões e empregados, clandestinos e careta, sábios e loucos.
    • E o grande milagre não será mais ser capaz de andar nas nuvens ou caminhar sobre as águas. O grande milagre será o fato de que todo dia, de manhã até à noite, seremos capazes de caminhar sobre a Terra.

    Saudação final do 11º manifesto:

    Sucesso a quem ler e guardar este manifesto. Porque nós somos capazes. Todos nós, todos nós somos capazes.

    Escrito por: Raul Seixas, Paulo Coelho, Sylvio Passos, Christina Oiticica, Toninho Buda, Ed Cavalcanti


    Texto original foi escito por: Kid Vinil é cantor, DJ, radialista, divulgador musical e apresentador de TV e autor do livro 'Almanaque do Rock' pela editora Ediouro